Sl 76

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

76(75) Cântico triunfal

 

1 Ao diretor. Com instrumentos de corda. Salmo. De Asaf. Cântico.


2 Deus deu-se a conhecer em Judá[1],

grande é o seu nome em Israel.

3 A sua tenda está em Salém[2]

e a sua morada, em Sião.

4 Ali quebrou as flechas do arco,

os escudos, as espadas e armas de guerra[3]. Pausa


5 Tu resplandeces glorioso,

por sobre as montanhas de despojos[4].

6 Os mais valentes foram espoliados

e dormem o seu sono.

Os homens de guerra não conseguiram

encontrar o vigor dos seus braços.

7 Por causa das tuas ameaças, ó Deus de Jacob,

tanto carros como cavalos ficaram imóveis.


8 Tu, sim! Tu és temível!

Quem poderá resistir na tua presença,
quando se inflama a tua ira?

9 Do alto do céu, proclamas a sentença;

a terra treme e fica silenciosa,

10 quando Deus se levanta para o julgamento,

para salvar os humildes da terra. Pausa

11 Pois a ira do homem é para ti louvor,

e os que sobrevivem à ira festejarão à tua volta[5].


12 Fazei promessas e cumpri-as ao Senhor, vosso Deus!

Todos à sua volta levem presentes ao que é temível[6].

13 Ele corta a respiração aos governantes

e é temido pelos reis da terra.



  1. Este salmo faz parte do conjunto designado como salmos ou cânticos de Sião. Nele se nota o eco de alguma vitória obtida pelos israelitas. Vários acontecimentos históricos poderiam ter contribuído para enriquecer os temas e as metáforas pertinentes, como, por exemplo, as imagens da batalha relatada em 2Sm 5,17-24. Mas estas referências ao passado que servem para criar a linguagem reconhecível transformam-se, na verdade, em paradigmas de futuro. Um outro acontecimento político e militar que seguramente está em condições de poder servir de referência a este salmo é o assédio de Senaquerib a Jerusalém no ano de 701 a.C. (2Rs 18,13-19,36).
  2. Salém, estando em paralelo com Sião, refere-se evidentemente a Jerusalém. É possível que o mesmo nome seja o que aparece em Gn 14,18; Jdt 4,4; e que Heb 7,1s refere. O conteúdo do salmo celebra a vitória sobre os exércitos invasores e a destruição das suas armas. O autor do salmo pode estar a aproveitar, para contraste, o significado de «paz» (chalom) que a literatura bíblica se habituou a associar com o nome de Jerusalém.
  3. O tema da destruição das armas de guerra é frequente na Bíblia (Sl 46,10; Is 2,4; Ez 39,9; Os 2,8; Zc 9,10).
  4. As metáforas dos vv. 5-7 podem aludir à catástrofe que atingiu o exército de Senaqueribe, quando pretendia atacar Jerusalém, conforme consta em 2Rs 19,35.
  5. Ou: e com os que sobrevivem à ira farás uma cintura. Esta imagem significaria a união entre Deus e os sobreviventes da ira (Jr 13,11; Sl 109,19).
  6. Já na antiguidade houve quem entendesse a expressão acima traduzida como ao que é temível (lammora’) por uma alternativa: ao dador da lei (lammoreh).



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150