Sl 21

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

21(20) Ação de graças pelo rei

 


1 Ao diretor. Salmo de David.


2 Senhor, o rei alegra-se com o teu poder[1].

Como ele exulta com a tua salvação!

3 Satisfizeste os desejos do seu coração

e não recusaste os pedidos da sua boca.Pausa


4 Saíste ao seu encontro com bênçãos de prosperidade;

puseste na sua cabeça uma coroa de ouro fino[2].

5 Pediu-te vida e Tu lha concedeste,

vida prolongada, por séculos sem fim[3].


6 Grande é a sua glória, graças à tua ajuda;

cumulaste-o de esplendor e majestade.

7 Dispuseste para ele bênçãos[4] sem fim

e leva-lo a contemplar com alegria a tua face.

8 Sim, o rei confia no Senhor

e pela bondade do Altíssimo não vacilará.

9 Levantarás a tua mão contra todos os teus inimigos[5],

a tua direita atingirá os que te odeiam.

10 Hás de reduzi-los a uma fornalha ardente,

quando mostrares a tua face.

A ira do Senhor há de engoli-los

e serão devorados pelo fogo.

11 Farás desaparecer da terra a sua descendência

e a sua posteridade entre os humanos.

12 Se intentarem algum mal contra ti

e pensarem em traição, nada vão conseguir.

13 Porque tu os obrigarás a virar costas,

apontando contra eles o teu arco.

14 Levanta-te, Senhor, com a tua força,

e nós cantaremos e celebraremos o teu poder.



  1. Este salmo real manifesta a esperança que a função do rei suscita em Israel e a confiança de que ele seja uma garantia da proteção de Deus. As manifestações entusiastas de alegria repetidas ao longo do salmo podem sugerir a sua utilização em celebrações da realeza no santuário. Este salmo faz pendão com o anterior, porque representa a ação de graças depois da vitória conseguida na guerra.
  2. O rei não somente parece estar presente na celebração onde é proclamado este salmo, mas, mais do que isso, parece estar no centro de uma cerimónia de entronização. Deve também sublinhar-se que, mesmo tendo o rei e as suas funções como destinatários diretos, este salmo é também de grande significado para todo o povo.
  3. Este pedido de vida muito prolongada condiz bem com as sensibilidades com que se encarava a função da realeza. Pela sua natureza e pelo seu significado era caraterizada como realeza eterna. Estas expressões constavam já na linguagem da Mesopotâmia a respeito da realeza. Tais metáforas de tempo eterno enquadram-se bem com as conotações de messianismo que sempre se articularam com as da realeza terrena.
  4. Ou: Fizeste dele uma ocasião de bênçãos.
  5. As metáforas que descrevem a ação sobre os inimigos, com as proezas descritas entre os vv. 9-13, correspondem a uma linguagem normalmente referida a Deus, mas podem também referir-se à ação do rei.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150