Sl 79

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

79(78) Destruição de Jerusalém

 

1 Salmo. De Asaf.


Ó Deus[1], os povos invadiram a tua herança,

profanaram o teu santo templo
e puseram Jerusalém em ruínas[2].

2 Deram os cadáveres dos teus servos

em alimento às aves do céu
e o corpo dos teus fiéis, às feras selvagens.

3 Derramaram o seu sangue como água

em torno de Jerusalém,
e ninguém lhes dá sepultura.

4 Tornámo-nos motivo de escárnio para os nossos vizinhos,

riso e desprezo para os que estão à nossa volta.


5 Até quando, Senhor, estarás irritado? Para sempre?

Será a tua indignação como um fogo abrasador?

6 Derrama a tua ira sobre os povos que não te conhecem[3]

e sobre os reinos que não invocam o teu nome.

7 Porque eles devoraram o povo de Jacob

e devastaram os seus domínios[4].

8 Não recordes contra nós as faltas dos antepassados[5].

Que a tua compaixão venha depressa ao nosso encontro,
pois estamos totalmente esgotados.


9 Socorre-nos, ó Deus, nosso salvador, pela glória do teu nome!

Livra-nos e apaga os nossos pecados, por causa do teu nome.

10 Porque hão de perguntar os povos: «Onde está o seu Deus?».

Que nós vejamos como se reconhece entre os povos
que foi vingado o sangue derramado dos teus servos.


11 Chegue junto de ti o gemido dos cativos,

e com teu longo braço poupa da morte os condenados.

12 E faz recair sete vezes no peito dos nossos vizinhos

as ofensas com que te ultrajaram, ó Senhor.

13 E nós, teu povo e rebanho de que és pastor,

queremos glorificar-te para sempre
e contaremos os teus louvores, de geração em geração.



  1. Com tonalidade compreensível de lamentação por situações de ataque contra Jerusalém (Sl 74), este é um salmo coletivo de súplica. O pedido consiste principalmente em que os males e desgraças infligidos à cidade pelos inimigos sejam vingados por uma intervenção do próprio Deus. Como fundo histórico para acontecimentos deste género, pode pensar-se em 2Rs 24-25 e Ez 36,5. Mais uma vez a destruição do templo em 587 ou 586 pelo exército neobabilónico e a sua profanação pelos selêucidas em 170 a.C. são os contextos de grande catástrofe que se prestam a servir de pano de fundo para estes salmos.
  2. Herança, templo e Jerusalém têm muito de sinónimo entre si. Com níveis de pertinência diferentes, o conceito de herança de Deus pode aplicar-se a cada um deles (Ex 15,17; Sl 74,7; Jr 51,51).
  3. A razão da ira de Deus e o pedido de castigo não é por não conhecerem a Deus. A razão é a dos maus tratos a que sujeitam a «morada de Jacob».
  4. O termo hebraico que significa seus domínios (nawehu) serve para indicar vários tipos de propriedade, sejam campos, pastagens ou residências.
  5. A conceção moral de que as culpas dos pais poderiam motivar castigos contra os filhos (Ex 20,5; Lm 5,7) era recebida com alguma incomodidade.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150