Sl 19

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

19(18) Louvor a Deus criador e legislador

 

1 Ao diretor. Salmo de David.


2 Os céus proclamam a glória de Deus[1],

e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.

3 Um dia passa mensagem ao outro dia

e uma noite dá conhecimento à outra noite.


4 Sem palavras nem discursos,

sem mesmo se ouvir a sua voz,

5 o seu eco ressoa por toda a terra

e as suas mensagens, até aos confins do universo,
entre eles Deus fez uma tenda para o sol.


6 É dali que ele sai, como um noivo do seu tálamo,

e, qual herói, percorre alegre o seu caminho.

7 Num extremo dos céus tem a sua saída,

e a sua órbita assenta no outro extremo.
E nada escapa ao seu calor[2].

8 A lei[3] do Senhor é perfeita, reconforta a alma;

os avisos do Senhor são firmes, dão sabedoria aos simples.

9 As ordens do Senhor são retas, alegram o coração;

os preceitos do Senhor são claros, iluminam os olhos.


10 O temor do Senhor é puro, permanece para sempre;

as sentenças do Senhor são a verdade, todas elas são justas.

11 São mais desejáveis que o ouro, o ouro mais fino

e mais doces que o mel, o puro mel dos favos.


12 Também o teu servo se deixa iluminar por elas

e tem grande proveito em cumpri-las.

13 Mas quem poderá reconhecer os seus erros?

Perdoa-me as faltas desconhecidas.


14 Preserva também da soberba[4] este teu servo,

para que ela não me domine.
Então serei perfeito e ficarei inocente de falta grave.

15 Aceita com benevolência as palavras da minha boca;

chegue a ti o murmúrio do meu coração,
ó Senhor, meu rochedo e meu libertador.



  1. Este salmo é um hino à glória de Deus, representada em dois planos: o poder e sabedoria de Deus que se manifesta na ordem geral do universo (vv. 1-7), especialmente no céu (8,2-7), e a perfeição da lei de Deus e da sua ação (vv. 8-12). Os seres da natureza e mesmo os dias e as noites são tratados como personificações de um salmista que com a sua voz canta os louvores de Deus. O final é uma súplica, pedindo a capacidade de pôr em prática essa lei (v. 13-15).
  2. A principal metáfora desta voz de Deus que enche de glória e de louvor o universo é o próprio sol, cujo percurso diário é uma completa liturgia de luz e de louvor.
  3. Com a palavra lei traduz-se aqui o termo torah, que significa ensino, instrução e significa toda a espécie de lições e ensinamentos; poderíamos dizer que abarca todo o conteúdo do AT, apesar de a expressão de Lei de Moisés se ter tornado uma referência específica aos primeiros cinco livros da Bíblia.
  4. Para exprimir este conceito o hebraico usa um termo no plural, zedim, que tanto poderia referir-se aos orgulhosos como significar uma atitude de espírito em que o plural sublinha a multiplicidade de matizes. O plural é usado em hebraico para exprimir ideias abstratas ou conceitos que representam dimensões de variada complexidade, como acontece com as idades da vida.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150