Sl 115

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

115(113,9-26) Deus verdadeiro e único

 

1 Não a nós, ó Senhor, não a nós[1],

mas ao teu nome dá glória,
pela tua misericórdia e fidelidade.

2 Porque hão de perguntar os povos:

«Onde está o seu Deus?».

3 O nosso Deus está nos céus;

tudo o que lhe agrada, Ele o faz.

4 Os ídolos deles são prata e ouro,

obra das mãos dos homens:

5 têm boca, mas não falam;

têm olhos, mas não veem;

6 têm ouvidos, mas não ouvem;

têm nariz, mas não cheiram;

7 têm mãos, mas não tocam;

têm pés, mas não caminham;
e da sua garganta não emitem qualquer som.

8 Sejam como eles aqueles que os fazem

e todo aquele que neles confia.

9 Ó Israel, confia no Senhor,

pois Ele é para todos ajuda e proteção.

10 Vós, casa de Aarão[2], confiai no Senhor,

pois Ele é para todos ajuda e proteção.

11 Vós que temeis o Senhor, confiai no Senhor,

pois Ele é para todos ajuda e proteção[3].

12 O Senhor lembrou-se de nós e nos abençoará,

abençoará a casa de Israel,
abençoará a casa de Aarão,

13 abençoará os que temem o Senhor,

os pequenos junto com os grandes.

14 Que o Senhor vos acrescente prosperidade

a vós e aos vossos filhos.

15 Que sejais abençoados pelo Senhor,

que fez o céu e a terra!

16 Os céus, esses são para o Senhor,

mas a terra, deu-a aos seres humanos.

17 Não são os mortos que louvam o Senhor,

nem os que descem ao mundo do silêncio[4].

18 Nós é que louvaremos o Senhor,

desde agora e para sempre.
Aleluia!



  1. É um salmo coletivo de confiança. Nele se exprime a preocupação de que Deus manifeste aos outros povos as razões que os israelitas sentem para ter confiança em Deus (vv. 1-8; 9-11). É particularmente marcante a definição de contrastes entre o Deus dos hebreus e os outros deuses, sobretudo no modo de sublinhar a inutilidade dos ídolos (vv. 4-8). A crítica aos ídolos é dos temas mais importantes da Bíblia. Bem caraterística do ambiente litúrgico em que se enquadra o salmo é também a longa secção de bênçãos que ocupa os vv. 12-18.
  2. A casa de Aarão é a classe dos sacerdotes, por isso aparece destacada neste hino litúrgico.
  3. Os três grupos referidos nos vv. 9-11 são uma maneira de representar a totalidade daqueles que integram a comunidade religiosa de Israel (cf. Sl 118,2-4): o povo, os sacerdotes e os estrangeiros tementes a Deus. Estes últimos vivem integrados social e religiosamente com o povo de Deus.
  4. Silêncio é um termo que pode também representar o próprio mundo dos mortos. Por isso, não se pode esperar que venha de lá qualquer louvor a Deus, que é expressão de vivos.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150