Mt 14

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

Martírio de João Batista (Mc 6,14-29; Lc 3,19s; 9,7-9) – 1Naquele tempo, o tetrarca Herodes[1] ouviu falar da fama de Jesus 2e disse aos seus servos: «Este é João Batista! Ele ressuscitou dos mortos, e, por isso, os poderes atuam nele». 3De facto, Herodes, tendo preso João, acorrentou-o e pô-lo na prisão por causa de Herodíade[2], a mulher do seu irmão Filipe, 4pois João dizia-lhe: «Não te é permitido tê-la por mulher». 5Herodes quis matá-lo, mas temia a multidão, porque o tinham como profeta.

6No aniversário de Herodes, a filha de Herodíade dançou no meio de todos[3] e agradou a Herodes, 7de tal modo que lhe prometeu sob juramento dar-lhe o que ela pedisse. 8Ela, instigada pela sua mãe, afirmou: «Dá-me aqui, numa bandeja, a cabeça de João Batista». 9O rei ficou triste, mas, por causa dos juramentos e dos que estavam reclinados à mesa com ele, ordenou que lha dessem 10e mandou decapitar João na prisão. 11Trouxeram a sua cabeça numa bandeja e deram-na à jovem, que a levou à sua mãe. 12Os discípulos de João vieram buscar o cadáver, sepultaram-no e foram anunciá-lo a Jesus.


Primeira multiplicação dos pães (Mc 6,31-44; Lc 9,10-17; Jo 6,1-13) – 13Ao ouvir isto, Jesus retirou-se dali num barco e foi a sós para um lugar deserto. Quando as multidões ouviram isto, seguiram-no a pé a partir das cidades. 14Ao sair, Ele viu uma numerosa multidão, compadeceu-se profundamente deles e curou os seus enfermos. 15Ao cair da tarde, foram ter com Ele os discípulos, dizendo: «O lugar é deserto e a hora já vai avançada. Manda embora as multidões para irem às povoações comprar alimentos para si». 16Mas Jesus disse-lhes: «Não têm necessidade de se ir embora. Dai-lhes vós de comer». 17Eles disseram-lhe: «Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes». 18Ele disse: «Trazei-mos cá». 19Depois de ordenar às multidões que se reclinassem sobre a erva, tomando os cinco pães e os dois peixes, e levantando os olhos ao céu, pronunciou a bênção e, partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos às multidões. 20Todos comeram e ficaram saciados, e recolheram o que sobrou dos pedaços: doze cestas cheias[4]. 21Os que comeram eram cerca de cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.


Jesus caminha sobre as águas (Mc 6,45-52; Jo 6,15-21) – 22E imediatamente obrigou os discípulos a entrar no barco e a ir à sua frente para a outra margem, enquanto Ele despedia as multidões. 23Depois de despedir as multidões, subiu ao monte a sós para rezar. Ao cair da tarde, Ele estava ali sozinho. 24Entretanto, o barco já estava a muitos estádios da terra, atormentado pelas ondas, pois o vento era contrário. 25Pela quarta vigília da noite[5] foi ter com eles, caminhando sobre o mar. 26Mas os discípulos, ao vê-lo caminhar sobre o mar, ficaram muito perturbados, dizendo que era um fantasma, e, com medo, começaram a gritar. 27Imediatamente lhes falou Jesus, dizendo: «Tende coragem, sou Eu; não tenhais medo!».

28Pedro[6], respondendo-lhe, disse: «Senhor, se és Tu, manda-me ir ter contigo sobre as águas». 29Ele disse: «Vem». E, descendo do barco, Pedro começou a caminhar sobre as águas e foi ter com Jesus. 30Mas, ao ver o vento forte, teve medo, começou a afundar-se e gritou, dizendo: «Senhor, salva-me». 31Imediatamente Jesus lhe estendeu a mão, agarrou-o e disse-lhe: «Homem de pouca fé, porque duvidaste?». 32E, depois de eles subirem para o barco, o vento amainou. 33E os que estavam no barco ajoelharam-se diante dele, dizendo: «És verdadeiramente Filho de Deus!».


Curas em Genesaré (Mc 6,53-56) – 34Feita a travessia, chegaram a terra em Genesaré. 35Ao reconhecê-lo, os homens daquele lugar espalharam a notícia[7] por toda aquela região. Trouxeram-lhe, então, todos os que tinham algum mal 36e suplicavam-lhe que os deixasse tocar ao menos na franja da sua capa. E todos quantos tocaram foram salvos.



  1. Herodes Ântipas, filho de Herodes, o Grande, que herdou as províncias da Galileia e da Pereia, um estado que era uma quarta parte do reino do pai (cf. Lc 3,1s.19; 9,7; At 13,1). Daí o título tetrarca, atribuído ao líder de cada um dos quatro estados, todos eles sob o domínio romano.
  2. Herodíade, filha de Aristobulo e Berenice, mulher de Herodes Filipe, desposou ilegalmente Herodes Ântipas, seu tio (cf. Lc 3,19). Herodes Ântipas tinha repudiado a primeira mulher, filha do rei nabateu Aretas (cf. Flávio Josefo, Bell.Jud I,8.9; I,28.4; II,11.6; Ant.Jud XVII,7.3; XVIII,5.4).
  3. Lit.: dançou do meio.
  4. Esta primeira multiplicação dos pães evoca o alimento do maná dado por Deus a Israel no deserto (cf. Ex 16,4s.15-36; Sl 78,24-30; Sb 16,20-21) e a recolha nos cestos evoca um outro episódio do AT passado com Eliseu e o seu servo (2Rs 4,42-44). São ainda claras, neste relato e nos outros cinco dos evangelhos, as afinidades com os da última Ceia de Jesus e a celebração da Eucaristia desde os primórdios da Igreja.
  5. A quarta vigília da noite corresponde ao último período de três horas antes da madrugada, i.e., ao período entre as três e as seis da manhã, antes de o sol se levantar, quando no horizonte já se começa a entrever o tom rosa da aurora. Esta referência é significativa, porque indica que Jesus, a nova luz, vem ao encontro dos discípulos com o seu poder divino, já que só Deus podia assim dominar as forças do mar e do mal.
  6. Os vv. 28-31 sobre a pessoa de Pedro são exclusivos de Mt. Entre Jesus e Pedro há uma relação profunda (cf. também 16,17-19 e 17,24-27).
  7. Lit.: enviaram (subentende-se notícia).



Capítulos

Mt 1 Mt 2 Mt 3 Mt 4 Mt 5 Mt 6 Mt 7 Mt 8 Mt 9 Mt 10 Mt 11 Mt 12 Mt 13 Mt 14 Mt 15 Mt 16 Mt 17 Mt 18 Mt 19 Mt 20 Mt 21 Mt 22 Mt 23 Mt 24 Mt 25 Mt 26 Mt 27 Mt 28