Sl 148

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Revision as of 11:09, 18 December 2019 by Bibliacep (talk | contribs)

(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to: navigation, search

148 Louvor do universo

 

1 Aleluia!


Louvai o Senhor do alto dos céus[1],

louvai-o nas alturas!


2 Louvai-o, todos os seus mensageiros;

louvai-o, todos os seus exércitos[2]!:

3 Louvai-o, Sol e Lua;

louvai-o, todos os astros luminosos!

4 Louvai-o, alturas dos céus

e águas que estais acima dos céus[3]!

5 Louvai o nome do Senhor,

pois Ele deu uma ordem e todos foram criados.

6 Ele os estabeleceu nos seus lugares para todo o sempre;

estabeleceu uma lei que não passará.


7 Desde a terra, louvai o Senhor,

monstros do mar e todos os abismos;

8 raios de fogo e granizo, neve e nevoeiro,

vento da tempestade que realiza a sua palavra;

9 montanhas e todas as colinas,

árvores de fruto e todos os cedros;

10 animais selvagens e todo o gado,

répteis e aves que voam.


11 Louvai-o, reis da terra e todos os povos,

príncipes e todos os governantes da terra;

12 os jovens e também as donzelas,

os velhos com as crianças!


13 Louvem todos o nome do Senhor,

porque só o seu nome é excelso,
e a sua majestade está acima da terra e dos céus.

14 Ele engrandece o poder do seu povo[4].

Isto é honra para todos os seus fiéis,
para os filhos de Israel, povo que lhe é próximo.


Aleluia!



  1. Este hino constitui um convite generalizado e pormenorizado a todas as criaturas do universo, no céu (vv. 1-6) e na terra (vv. 7-14), para que se juntem como um duplo coro a contracenar, e com todo o entusiasmo louvem a Deus. Uma grande parte dos vv. assenta diretamente sobre uma forma imperativa do verbo louvar. Como acontece geralmente nos hinos por todo o mundo bíblico, uma parte dos vv. constitui uma narrativa sobre as grandes obras de Deus, pelas quais o louvor se justifica. É a motivação e base essencial para os hinos, assentes na feliz contemplação do mundo.
  2. A qualidade de mensageiros e de exércitos de Deus é partilhada tanto por seres como os anjos como pelos astros do céu. Ambos se encontram na função de cumprir as tarefas que lhes são atribuídas (cf. 1Rs 22,19; Jb 38,7; Ne 9,6).
  3. Na conceção dos orientais o céu tinha vários níveis e as águas que de lá caíam como chuva vinham do armazenamento de águas situado acima do firmamento (cf. Gn 1,6-8; Sl 104,3).
  4. Ou: Ele faz subir a prosperidade do seu povo. O termo hebraico qeren (chifre) é uma metáfora que significa poder e também abundância.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150