Lc 16

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search

Parábola do administrador infiel – 1Dizia ainda aos discípulos: «Havia um homem rico que tinha um administrador, e este foi-lhe denunciado por esbanjar os seus bens. 2Então, chamando-o, disse-lhe: "Que é isto que ouço acerca de ti? Presta contas da tua administração, pois não podes continuar a administrar". 3Disse, então, o administrador para consigo: "Que hei de fazer, dado que o meu senhor me tira a administração? De cavar, não sou capaz; de mendigar, tenho vergonha. 4Já sei o que hei de fazer, para que, quando for removido da administração, haja quem me acolha em sua casa". 5Chamando a si cada um dos devedores do seu senhor, disse ao primeiro: "Quanto deves ao meu senhor?". 6Ele disse: "Cem medidas[1] de azeite". Ele, porém, disse-lhe: "Toma os documentos, senta-te depressa e escreve cinquenta". 7Disse depois a outro: "E tu, quanto deves?". Ele disse: "Cem medidas[2] de trigo". Disse-lhe: "Toma os documentos e escreve oitenta".

8E o senhor elogiou o administrador injusto[3] por ter agido com esperteza[4]. De facto, os filhos deste mundo são mais espertos para com a sua geração do que os filhos da luz».

Servir a Deus ou ao dinheiro (Mt 6,24) – 9«Também Eu vos digo: fazei para vós amigos com as riquezas injustas, para que, quando faltar, vos acolham nas tendas eternas. 10Quem é fiel no pouco também é fiel no muito, e quem é injusto no pouco também é injusto no muito. 11Se, portanto, não fostes fiéis com as riquezas injustas, quem vos confiará o que é verdadeiro? 12E se, naquilo que é de outro, não fostes fiéis, quem vos dará aquilo que é vosso? <spanstyle="color:red">13</span>Nenhum escravo[5] pode servir a dois senhores, pois ou odiará um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas».


A reação dos fariseus. Questão do divórcio (Mt 5,32; 19,9; Mc 10,11) – 14Os fariseus, que eram amigos do dinheiro, ouviam tudo isto e troçavam dele. 15Disse-lhes, então: «Vós sois os que se têm a si mesmos por justos diante dos homens; mas Deus conhece os vossos corações, pois o que entre os homens é exaltado é abominável diante de Deus. 16A Lei e os Profetas chegaram até João. Desde então, o reino de Deus é anunciado como boa nova e todos se esforçam para nele entrar. 17Mas é mais fácil passar o céu e a terra que cair um só traço de uma letra da Lei. 18Todo aquele que repudia a sua mulher e casa com outra comete adultério[6]; e quem casa com uma repudiada pelo marido comete adultério».


Parábola do homem rico e do pobre Lázaro – 19«Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho fino, banqueteando-se dia após dia esplendidamente. 20Um pobre, de nome Lázaro[7], jazia ao seu portão, coberto de chagas, 21desejando saciar-se do que caía da mesa do rico, mas até os cães[8] vinham lamber-lhe as chagas. 22Ora, aconteceu que o pobre morreu e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão[9]. Morreu também o rico e foi sepultado.

23Então no inferno[10], estando em tormentos, ao levantar os olhos viu Abraão de longe e Lázaro no seu seio. 24E ele, gritando, disse: "Pai Abraão, tem misericórdia de mim e envia Lázaro para que molhe a ponta do seu dedo em água e me refresque a língua, porque estou atormentado nestas chamas". 25Disse Abraão: "Filho, recorda-te que recebeste os teus bens durante a tua vida e, de igual modo, Lázaro os males. Agora, é aqui consolado enquanto tu és atormentado. 26Além de tudo isso, um grande abismo foi fixado entre vós e nós, de modo que os que querem passar daqui para vós não podem, nem os daí podem atravessar até nós".

27Mas ele disse: "Peço-te, então, pai, que o envies à casa do meu pai, 28pois tenho cinco irmãos, a fim de os advertir, para que não venham também eles para este lugar de tormento". 29Disse Abraão. "Têm Moisés e os Profetas. Que os ouçam!" 30Mas ele disse: "Não, pai Abraão; se alguém de entre os mortos for ter com eles, hão de converter-se". 31Disse-lhe, então: "Se não ouvem Moisés e os Profetas, também não se convencerão se alguém ressuscitar dos mortos"».



  1. Lit.: bátos (talha), uma medida que corresponde a 30 litros.
  2. Lit.: kóros, uma medida que corresponde a 300 litros.
  3. Lit.: administrador da injustiça.
  4. A palavra grega aqui usada, phronímōs, indica, na versão dos LXX, todo o modo de arranjar-se, honesta ou desonestamente (Gn 3,1).
  5. Lit.: (escravo) doméstico, sujeito a intercâmbios entre patrões.
  6. A proibição do repúdio é uma das mais claras ruturas de Jesus com a Lei de Moisés (Dt 24,1).
  7. É o único caso em que um personagem de uma parábola possui nome. Lázaro significa Deus ajuda. Muitos identificaram este personagem com o Lázaro de Jo 11, mas este não era pobre.
  8. A Escritura considera os cães animais repugnantes e maus (Sl 22,17.21; Pr 26,11; Mt 7,6).
  9. O seio de Abraão era o lugar de honra do banquete presidido por Abraão. A mesma expressão encontra-se em Jo 13,23.
  10. Lit.: Hades, o inferno na mitologia grega.



Capítulos

Lc 1 Lc 2 Lc 3 Lc 4 Lc 5 Lc 6 Lc 7 Lc 8 Lc 9 Lc 10 Lc 11 Lc 12 Lc 13 Lc 14 Lc 15 Lc 16 Lc 17 Lc 18 Lc 19 Lc 20 Lc 21 Lc 22 Lc 23 Lc 24