Sl 99

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Revision as of 09:55, 18 December 2019 by Bibliacep (talk | contribs)

(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to: navigation, search

99(98) Rei supremo e santo

 

1 O Senhor é rei[1], tremam os povos[2]!

O seu trono é sobre os querubins[3].
Que a terra inteira estremeça.

2 O Senhor é grande em Sião

e é excelso sobre todos os povos.

3 Que eles louvem o teu nome, grande e terrível,

porque ele é santo!

4 A força de um rei está em amar a justiça.

Ora, Tu estabeleceste a equidade,

o direito e a justiça em Jacob.

Tu é que o realizaste.


5 Exaltai o Senhor, nosso Deus,

prostrai-vos junto ao estrado dos seus pés,
pois Ele é santo.

6 Moisés e Aarão estão entre os seus sacerdotes[4]

e Samuel, entre os que invocam o seu nome.
Invocavam o Senhor e Ele respondia-lhes.

7 De uma coluna de nuvem Deus falava;

eles guardaram os seus preceitos
e a lei que lhes tinha dado.


8 Senhor, nosso Deus, Tu respondeste-lhes;

foste um Deus indulgente para com eles,
mesmo castigando as suas maldades[5].


9 Exaltai o Senhor, nosso Deus,

prostrai-vos junto da sua montanha santa,
pois o Senhor, nosso Deus, é santo.



  1. Cf. Sl 96,10.
  2. Este salmo encerra a lista dos hinos que tratam da realeza de Javé e mantém-se fiel aos temas mais caraterísticos deste grupo, nomeadamente: a realeza divina, a importância de Sião, a participação dos povos, o papel da justiça, o temor e o respeito, a festa e a recordação das principais figuras da história de Israel. Sublinha de um modo particular a santidade de Deus, reiterada à maneira de refrão, no final de cada estrofe (vv. 3,5,9).
  3. Os querubins aparecem ainda noutros textos da Bíblia para indicar o lugar onde Deus tem o seu trono (Sl 80,2). Trata-se muito provavelmente de seres superiores que se encontravam representados na cobertura da arca da aliança (Ex 25,18-22; cf. 1Sm 4,4; 2Sm 6,2; 1Rs 8,6; 18,11).
  4. Sobre estes grandes intercessores, cf. Sl 106,23; Ex 32,11; Nm 17,11-13.
  5. Pode referir-se às maldades do povo em geral ou às cometidas pelo grupo dos intercessores (Nm 20,12.24; 27,14; Dt 1,37; 3,23-27).



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150