Sl 80

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Revision as of 09:35, 18 December 2019 by Bibliacep (talk | contribs)

(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to: navigation, search

80(79) Oração pela restauração de Israel

 

1 Ao diretor. Segundo «Os lírios são testemunho». De Asaf. Salmo.


2 Escuta[1], pastor de Israel[2],

Tu que apascentas José[3] como um rebanho,
Tu que tens o teu trono sobre os querubins.

Mostra a tua grandeza

3 a favor de Efraim, Benjamim e Manassés[4]!

Desperta o teu poder e vem para nos salvar!

4 Ó Deus, volta-te para nós[5]!

Mostra o teu rosto luminoso e seremos salvos!


5 Senhor, Deus dos Exércitos,

até quando te vais mostrar indignado,
perante as súplicas do teu povo?

6 Deste-lhes a comer pão de lágrimas

e a beber, lágrimas a triplicar.

7 Fizeste de nós motivo de conversa para os nossos vizinhos,

e os nossos inimigos escarnecem de nós.


8 Ó Deus dos Exércitos, volta-te para nós!

Mostra o teu rosto luminoso e seremos salvos!


9 Arrancaste uma videira do Egito[6],

desalojaste outros povos e transplantaste-a.

10 Preparaste-lhe o terreno

e ela foi ganhando raízes até encher a terra.

11 As montanhas cobriram-se com a sua sombra,

e os seus ramos ultrapassaram os mais altos cedros[7].


12 Estendeu os seus sarmentos até ao mar

e até ao grande rio, os seus rebentos[8].

13 Porque derrubaste os seus muros,

deixando que a vindimem quantos passam pelo caminho?

14 É devastada pelo javali da floresta

e serve de pastagem para os animais do campo[9].


15 Ó Deus dos Exércitos, volta, por favor!

Do céu, olha e vê; cuida desta vinha!

16 Protege aquilo que a tua direita plantou,

o filho[10] que tornaste forte para ti.

17 Aqueles que a queimaram no fogo como desperdício

pereçam diante do teu rosto ameaçador.

18 Põe a tua mão sobre o homem da tua direita[11]

sobre o filho de homem que tornaste forte para ti.

19 Nunca mais nos afastaremos de ti.

Dá-nos vida e continuaremos a invocar o teu nome.


20 Senhor, Deus dos Exércitos, volta-te para nós!

Mostra o teu rosto luminoso e seremos salvos!



  1. Neste salmo coletivo de súplica, o contexto que justifica o pedido deverá ser algum perigo que ameaça o reino do Norte. Com efeito, o grupo humano que sofre ameaça e por causa dela dirige a Deus este pedido aparece representado pela menção das três principais tribos daquele reino, nomeadamente Efraim, Benjamim e Manassés. A data de composição plausível, nesta perspetiva, teria sido nas proximidades da invasão assíria que acabou por pôr fim ao reino da Samaria, em 721 a.C..
  2. O título de pastor é também aplicado a Deus (Sl 23,1s; Is 40,11).
  3. José representa sobretudo o grupo de tribos da Samaria, Efraim e Manassés. No entanto, numa leitura segundo o interesse dos israelitas em geral, José poderia ter alguma representatividade e sentido para o povo todo, pelo destaque que tem na associação com o patriarca Jacob e pelo ascendente que a memória da estadia no Egito lhe deixou.
  4. Estas tribos são as três descendentes de Raquel, i.e., estamos na linha preferida da descendência de Jacob (Nm 2,17-24; Jr 31,15).
  5. O pedido para que Deus volte é utilizado neste salmo à maneira de um refrão (vv. 4,8,15,20). Há quem traduza esta expressão como faz-nos voltar. No entanto, a tradução proposta, sendo inteiramente justificada do ponto de vista gramatical, parece enquadrar-se bem melhor no contexto e na dinâmica de pensamento do salmo.
  6. A alegoria da videira, que serve para suportar a exposição entre os vv. 9 e 18, é bastante comum na literatura profética (cf. Is 5,1-5; Jr 2,21; 12,10; e ainda Mc 12,1-12; Jo 15,1-8). A passagem do Egito para a terra prometida é vista metaforicamente como se a videira fosse transplantada (Ex 23,31; Dt 4,37-38).
  7. Lit.: Os cedros de Deus. A expressão tem o valor de um superlativo.
  8. O mar aqui referido é seguramente o Mediterrâneo e o rio deve ser o Eufrates, visto como uma espécie de fronteira ideal de Israel: Gn 15,18; Dt 11,24; 2Rs 24,7; Zc 9,10. Isto significa que os israelitas integram na sua imagem de identidade cultural a Síria até ao Eufrates, que nunca lhes pertenceu como realidade política.
  9. Estes animais ameaçadores são metáforas das nações, as mais poderosas como a Assíria ou a Babilónia, ou as vizinhas mais modestas, cuja força e ambições colocam Israel continuamente em perigo (Sl 83,7s; 137,7; Abd 11).
  10. Mesmo continuando a desenvolver a metáfora da videira, o texto acaba por se referir explicitamente a Israel, tratando-o como filho.
  11. Como o salmo tem a atenção concentrada na Samaria, este homem da tua direita pode ser uma maneira de se referir a Benjamim, cujo nome significa filho da direita. Com esta expressão pode estar a tomar a parte pelo todo, i.e., a tribo de Benjamim pela totalidade do reino do Norte, ao qual esta tribo pertence. Associando esta expressão com o Sl 110,1, em que quem está à direita de Deus é o rei, poderia perceber-se aqui alguma ressonância de tipo messiânico. O salmo dá a entender que se trata de uma personalidade concreta muito importante. A referência poderia ser para Zorobabel (Esd 3,2; Ag 1,1).



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150