Difference between revisions of "Sl 67"

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search
(Created page with " ---- <references/> == Salmos == 1   2   3   4   5   6   7   [...")
 
 
Line 1: Line 1:
 +
=== <span style="color:red">67(66)&nbsp;'''Convite ao louvor de Deus'''</span>===
 +
&nbsp;
  
 +
<span style="color:red"><sup>1</sup></span>&nbsp;''Ao diretor. Com instrumentos de corda. Salmo. Cântico''.
  
  
 +
<span style="color:red"><sup>2</sup></span>&nbsp;Que Deus se compadeça de nós e nos abençoe<ref name="ftn356">Este é um salmo coletivo de ação de graças. É possível que esta ação de graças estivesse integrada num cântico próprio da festa das colheitas, uma vez que refere os produtos da terra como o sinal da bênção de Deus (vv. 7-8). No final do salmo e como é frequente neste género, a atenção amplia-se na contemplação da soberania de Deus sobre o mundo inteiro. É o processo natural de alargamento do olhar que a atitude de oração desenvolve. A referência sublinhada aos outros povos pode ter a ver com memórias de guerras passadas e celebradas na literatura bíblica, como é, por exemplo, a relatada em 2Rs 19, ou simplesmente como a maneira de proclamar a soberania de Deus sobre todo o mundo.</ref>
  
 +
:e mostre para connosco o seu rosto luminoso<ref name="ftn357">Este v. serve-se de uma fórmula tradicional de bênção usada na liturgia (cf. Ex 6,24-26).</ref>.''Pausa''
  
  
 +
<span style="color:red"><sup>3</sup></span>&nbsp;Que sejam conhecidos na terra os teus caminhos
  
 +
:e em todas as nações, a tua salvação<ref name="ftn358">Os caminhos de Deus são os padrões e princípios de comportamento que devem ser seguidos e também os modos que Deus tem de intervir no mundo e na história. A sua salvação são as vitórias e os êxitos que Ele garante àqueles a quem ajuda.</ref>!
 +
 +
<span style="color:red"><sup>4</sup></span>&nbsp;Que os povos te louvem, ó Deus!
 +
 +
:Todos os povos te louvem!
 +
 +
<span style="color:red"><sup>5</sup></span>&nbsp;Alegrem-se e exultem as nações,
 +
 +
:porque julgas os povos com retidão<ref name="ftn359">O que justifica a soberania de Deus proclamada sobre o mundo é o facto de essa soberania se traduzir no reconhecimento e na gestão equitativa dos interesses e direitos de cada povo.</ref>
 +
 +
:e governas as nações sobre a terra.''Pausa''
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>6</sup></span>&nbsp;Que os povos te louvem, ó Deus!
 +
 +
:Todos os povos te louvem!
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>7</sup></span>&nbsp;A terra produziu o seu fruto.
 +
 +
:Deus, o nosso Deus, nos abençoa.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>8</sup></span>&nbsp;Que Deus nos abençoe,
 +
 +
:e que o temam todos os confins da terra.
  
  

Latest revision as of 20:00, 17 December 2019

67(66) Convite ao louvor de Deus

 

1 Ao diretor. Com instrumentos de corda. Salmo. Cântico.


2 Que Deus se compadeça de nós e nos abençoe[1]

e mostre para connosco o seu rosto luminoso[2].Pausa


3 Que sejam conhecidos na terra os teus caminhos

e em todas as nações, a tua salvação[3]!

4 Que os povos te louvem, ó Deus!

Todos os povos te louvem!

5 Alegrem-se e exultem as nações,

porque julgas os povos com retidão[4]
e governas as nações sobre a terra.Pausa


6 Que os povos te louvem, ó Deus!

Todos os povos te louvem!


7 A terra produziu o seu fruto.

Deus, o nosso Deus, nos abençoa.

8 Que Deus nos abençoe,

e que o temam todos os confins da terra.



  1. Este é um salmo coletivo de ação de graças. É possível que esta ação de graças estivesse integrada num cântico próprio da festa das colheitas, uma vez que refere os produtos da terra como o sinal da bênção de Deus (vv. 7-8). No final do salmo e como é frequente neste género, a atenção amplia-se na contemplação da soberania de Deus sobre o mundo inteiro. É o processo natural de alargamento do olhar que a atitude de oração desenvolve. A referência sublinhada aos outros povos pode ter a ver com memórias de guerras passadas e celebradas na literatura bíblica, como é, por exemplo, a relatada em 2Rs 19, ou simplesmente como a maneira de proclamar a soberania de Deus sobre todo o mundo.
  2. Este v. serve-se de uma fórmula tradicional de bênção usada na liturgia (cf. Ex 6,24-26).
  3. Os caminhos de Deus são os padrões e princípios de comportamento que devem ser seguidos e também os modos que Deus tem de intervir no mundo e na história. A sua salvação são as vitórias e os êxitos que Ele garante àqueles a quem ajuda.
  4. O que justifica a soberania de Deus proclamada sobre o mundo é o facto de essa soberania se traduzir no reconhecimento e na gestão equitativa dos interesses e direitos de cada povo.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150