Difference between revisions of "Sl 31"

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search
(Created page with " ---- <references/> == Salmos == 1   2   3   4   5   6   7   [...")
 
Line 1: Line 1:
 +
=== <span style="color:red">31(30)&nbsp;'''Apelo na aflição'''</span>===
 +
&nbsp;
  
 +
<span style="color:red"><sup>1</sup></span>&nbsp;''Ao diretor. Salmo. De David''.
  
  
 +
<span style="color:red"><sup>2</sup></span>&nbsp;Em ti, Senhor, procurei refúgio<ref name="ftn154">Este salmo é uma oração de cariz individual que recobre os temas de súplica, confiança e ação de graças. A concluir transforma-se num hino de louvor e não deixa de endereçar uma interpelação de sabor profético e sapiencial à comunidade inteira de Israel. Verifica-se mais uma vez como os temas e a intencionalidade dos salmos se movimentam das tonalidades mais pessoais até aos horizontes mais comunitários.</ref>.
 +
 +
:''''''Que eu jamais fique desiludido.
 +
 +
:Livra-me, pela tua justiça.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>3</sup></span>&nbsp;Inclina para mim os teus ouvidos;
 +
 +
:vem depressa libertar-me.
 +
 +
Sê para mim uma rocha de segurança,
 +
 +
:uma fortaleza para me salvar.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>4</sup></span>&nbsp;Sim, Tu és o meu rochedo e a minha fortaleza;
 +
 +
:por amor do teu nome, guia-me e conduz-me.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>5</sup></span>&nbsp;Livra-me da rede que esconderam contra mim,
 +
 +
:pois Tu és o meu refúgio.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>6</sup></span>&nbsp;Nas tuas mãos entrego o meu espírito<ref name="ftn155">A expressão o ''meu espírito'' (''ruḥi'') representa a totalidade da vida que se entrega nas mãos de Deus; não se associa explicitamente à respiração como acontece em Gn 2,7, se bem que esteja também associada com o vento, como em Gn 1,2. Esta parte do homem é algo de divino que está presente no homem vivo, e com a morte se entrega de novo a Deus. Esta é a frase citada por Lc 23,46, onde Jesus entrega o seu espírito ao Pai.</ref><nowiki>;</nowiki>
 +
 +
:salva-me, ó Senhor, Deus fiel.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>7</sup></span>&nbsp;Eu detesto<ref name="ftn156">Ou, segundo as antigas versões: ''Tu detestas''.</ref> os que seguem ilusões vazias<ref name="ftn157">O termo que aqui se traduz por ilusões é o mesmo que no Coélet se traduz por ''ilusão''. O significado que a linguagem bíblica sugere é o de uma referência aos ídolos falsos, vistos mais como um sistema de referências culturais e normas de vida. Por isso o verbo que se usa para exprimir a relação com eles é ''seguem'' (''chomerim''), que não traduz tão explicitamente a adoração votada a uma entidade divina. O impacte destas divindades era mais uma questão de influência cultural que de piedade ou devoção.</ref><nowiki>;</nowiki>
 +
 +
:e, por mim, confio no Senhor.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>8</sup></span>&nbsp;Hei de alegrar-me e regozijar com a tua misericórdia,
 +
 +
:pois Tu viste a minha miséria,
 +
 +
:e reconheceste as angústias da minha alma.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>9</sup></span>&nbsp;Não me deixaste preso na mão do inimigo,
 +
 +
:mas deste aos meus pés caminho aberto.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>10</sup></span>&nbsp;Tem piedade de mim, Senhor, que estou em aflição:
 +
 +
:os meus olhos consomem-se de tristeza,
 +
 +
:bem como a alma e as entranhas.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>11</sup></span>&nbsp;A minha vida esgotou-se na amargura,
 +
 +
:e os meus anos em gemidos.
 +
 +
As minhas forças decaíram com esta aflição<ref name="ftn158">O termo do texto hebraico consonântico permitiria traduzir: ''com a minha iniquidade''. O TM vocalizou neste sentido, mas as traduções antigas e o contexto apontam para a opção assumida nesta tradução.</ref>,
 +
 +
:e os meus ossos consumiram-se.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>12</sup></span>&nbsp;Sou objeto de escárnio para os meus inimigos,
 +
 +
:e mais ainda de desprezo para os meus vizinhos.
 +
 +
Sou motivo de terror para os meus conhecidos;
 +
 +
:ao verem-me na rua, afastam-se de mim.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>13</sup></span>&nbsp;Sou um morto esquecido e apagado dos corações;
 +
 +
:sou como um objeto perdido.:
 +
 +
<span style="color:red"><sup>14</sup></span>&nbsp;Eu ouvia os gritos da multidão,
 +
 +
:cercado pelo terror.
 +
 +
Pois conspiravam todos contra mim
 +
 +
:e combinavam tirar-me a vida.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>15</sup></span>&nbsp;Eu, porém, confio em ti, Senhor,
 +
 +
:e digo: «Tu és o meu Deus».
 +
 +
<span style="color:red"><sup>16</sup></span>&nbsp;Cada momento meu está nas tuas mãos.
 +
 +
:Livra-me da mão dos meus inimigos e perseguidores.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>17</sup></span>&nbsp;Faz brilhar sobre o teu servo a luz da tua face;
 +
 +
:salva-me pela tua misericórdia.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>18</sup></span>&nbsp;Senhor, que eu não fique envergonhado,
 +
 +
:pois clamei por ti.
 +
 +
Fiquem envergonhados os malfeitores,
 +
 +
:reduzidos ao silêncio da morte<ref name="ftn159">Lit.: ''do Cheol ''(cf. Sl 6,6).</ref>.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>19</sup></span>&nbsp;Calem-se os lábios mentirosos,
 +
 +
:que proferem insolências contra o justo,
 +
 +
:com arrogância e desprezo.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>20</sup></span>&nbsp;Como é grande, Senhor, a tua bondade,
 +
 +
:que tens reservada para os que te temem.
 +
 +
Tu a realizas por aqueles que em ti confiam,
 +
 +
:à vista de todos os humanos.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>21</sup></span>&nbsp;Tu os escondes e resguardas na tua presença,
 +
 +
:contra as intrigas do homem;
 +
 +
na tua tenda os guardas
 +
 +
:longe das línguas da discórdia.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>22</sup></span>&nbsp;Bendito seja o Senhor,
 +
 +
:pois a sua misericórdia para comigo
 +
 +
:fez maravilhas na cidade fortificada.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>23</sup></span>&nbsp;E eu, na minha ansiedade, dizia:
 +
 +
:«Fui excluído de diante dos teus olhos!».
 +
 +
Tu, porém, ouviste o brado da minha súplica,
 +
 +
:quando eu por ti clamei.
 +
 +
 +
<span style="color:red"><sup>24</sup></span>&nbsp;Amai o Senhor, todos os que sois seus amigos,
 +
 +
:pois o Senhor protege os que lhe são fiéis<ref name="ftn160">É igualmente possível traduzir'' pois o Senhor guarda fidelidade.'' O contexto, na verdade, permite os dois tipos de tradução e o TM parece apontar mais nesta direção.</ref>
 +
 +
mas castiga, retribuindo a dobrar
 +
 +
:a quem se comporta com arrogância.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>25</sup></span>&nbsp;Sede fortes e animem-se os vossos corações,
 +
 +
:todos vós que pondes a esperança no Senhor.
  
  

Revision as of 15:15, 17 December 2019

31(30) Apelo na aflição

 

1 Ao diretor. Salmo. De David.


2 Em ti, Senhor, procurei refúgio[1].

'Que eu jamais fique desiludido.
Livra-me, pela tua justiça.

3 Inclina para mim os teus ouvidos;

vem depressa libertar-me.

Sê para mim uma rocha de segurança,

uma fortaleza para me salvar.


4 Sim, Tu és o meu rochedo e a minha fortaleza;

por amor do teu nome, guia-me e conduz-me.

5 Livra-me da rede que esconderam contra mim,

pois Tu és o meu refúgio.


6 Nas tuas mãos entrego o meu espírito[2];

salva-me, ó Senhor, Deus fiel.

7 Eu detesto[3] os que seguem ilusões vazias[4];

e, por mim, confio no Senhor.

8 Hei de alegrar-me e regozijar com a tua misericórdia,

pois Tu viste a minha miséria,
e reconheceste as angústias da minha alma.


9 Não me deixaste preso na mão do inimigo,

mas deste aos meus pés caminho aberto.


10 Tem piedade de mim, Senhor, que estou em aflição:

os meus olhos consomem-se de tristeza,
bem como a alma e as entranhas.

11 A minha vida esgotou-se na amargura,

e os meus anos em gemidos.

As minhas forças decaíram com esta aflição[5],

e os meus ossos consumiram-se.

12 Sou objeto de escárnio para os meus inimigos,

e mais ainda de desprezo para os meus vizinhos.

Sou motivo de terror para os meus conhecidos;

ao verem-me na rua, afastam-se de mim.

13 Sou um morto esquecido e apagado dos corações;

sou como um objeto perdido.:

14 Eu ouvia os gritos da multidão,

cercado pelo terror.

Pois conspiravam todos contra mim

e combinavam tirar-me a vida.


15 Eu, porém, confio em ti, Senhor,

e digo: «Tu és o meu Deus».

16 Cada momento meu está nas tuas mãos.

Livra-me da mão dos meus inimigos e perseguidores.

17 Faz brilhar sobre o teu servo a luz da tua face;

salva-me pela tua misericórdia.


18 Senhor, que eu não fique envergonhado,

pois clamei por ti.

Fiquem envergonhados os malfeitores,

reduzidos ao silêncio da morte[6].

19 Calem-se os lábios mentirosos,

que proferem insolências contra o justo,
com arrogância e desprezo.


20 Como é grande, Senhor, a tua bondade,

que tens reservada para os que te temem.

Tu a realizas por aqueles que em ti confiam,

à vista de todos os humanos.


21 Tu os escondes e resguardas na tua presença,

contra as intrigas do homem;

na tua tenda os guardas

longe das línguas da discórdia.


22 Bendito seja o Senhor,

pois a sua misericórdia para comigo
fez maravilhas na cidade fortificada.

23 E eu, na minha ansiedade, dizia:

«Fui excluído de diante dos teus olhos!».

Tu, porém, ouviste o brado da minha súplica,

quando eu por ti clamei.


24 Amai o Senhor, todos os que sois seus amigos,

pois o Senhor protege os que lhe são fiéis[7]

mas castiga, retribuindo a dobrar

a quem se comporta com arrogância.

25 Sede fortes e animem-se os vossos corações,

todos vós que pondes a esperança no Senhor.





  1. Este salmo é uma oração de cariz individual que recobre os temas de súplica, confiança e ação de graças. A concluir transforma-se num hino de louvor e não deixa de endereçar uma interpelação de sabor profético e sapiencial à comunidade inteira de Israel. Verifica-se mais uma vez como os temas e a intencionalidade dos salmos se movimentam das tonalidades mais pessoais até aos horizontes mais comunitários.
  2. A expressão o meu espírito (ruḥi) representa a totalidade da vida que se entrega nas mãos de Deus; não se associa explicitamente à respiração como acontece em Gn 2,7, se bem que esteja também associada com o vento, como em Gn 1,2. Esta parte do homem é algo de divino que está presente no homem vivo, e com a morte se entrega de novo a Deus. Esta é a frase citada por Lc 23,46, onde Jesus entrega o seu espírito ao Pai.
  3. Ou, segundo as antigas versões: Tu detestas.
  4. O termo que aqui se traduz por ilusões é o mesmo que no Coélet se traduz por ilusão. O significado que a linguagem bíblica sugere é o de uma referência aos ídolos falsos, vistos mais como um sistema de referências culturais e normas de vida. Por isso o verbo que se usa para exprimir a relação com eles é seguem (chomerim), que não traduz tão explicitamente a adoração votada a uma entidade divina. O impacte destas divindades era mais uma questão de influência cultural que de piedade ou devoção.
  5. O termo do texto hebraico consonântico permitiria traduzir: com a minha iniquidade. O TM vocalizou neste sentido, mas as traduções antigas e o contexto apontam para a opção assumida nesta tradução.
  6. Lit.: do Cheol (cf. Sl 6,6).
  7. É igualmente possível traduzir pois o Senhor guarda fidelidade. O contexto, na verdade, permite os dois tipos de tradução e o TM parece apontar mais nesta direção.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150