Sl 22

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Revision as of 14:57, 17 December 2019 by Bibliacep (talk | contribs)

(diff) ← Older revision | Latest revision (diff) | Newer revision → (diff)
Jump to: navigation, search

22(21) A paixão do justo'

 


1 Ao diretor. Pela melodia “A corça da aurora”. Salmo de David.


2 Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste[1]?

As palavras do meu lamento ficam longe da minha salvação!

3 Meu Deus, clamo de dia e não respondes;

de noite, e não tenho descanso.

4 Mas Tu és o Santo e estás sentado no trono,

por entre os louvores de Israel[2].

5 Em ti confiaram os nossos pais;

confiaram e Tu os libertaste.

6 A ti clamaram e Tu os livraste;

confiaram em ti e não ficaram desiludidos.


7 Eu, porém, sou um verme e não um homem,

vergonha dos humanos e desprezo da plebe.

8 Todos os que me veem escarnecem de mim,

abrem a boca e abanam a cabeça.

9 «Recorreu ao Senhor, Ele que o livre;

Ele que o liberte, se lhe quer tanto bem».

10 Na verdade, Tu me tiraste do ventre materno

e me confiaste aos seios da minha mãe.

11 Desde o nascimento fui entregue aos teus cuidados,

desde o ventre da minha mãe Tu és meu Deus.

12 Não te afastes de mim, que a aflição está perto

e não há quem me ajude.


13 Estou cercado por touros ferozes,

os mais fortes de Basan[3] encurralaram-me.

14 Escancaram contra mim as suas fauces,

como leão que despedaça e ruge.

15 Fui derramado como água;

e todos os meus ossos se desconjuntaram.

O meu coração está como cera,

a derreter-se no meio das minhas entranhas.

16 Como uma telha, a minha garganta[4] está seca,

e a minha língua, colada ao céu da boca;
a morte reduziu-me a pó[5].


17 Estou cercado por matilhas de cães,

rodeia-me um bando de malfeitores.
Trespassaram as minhas mãos e os meus pés;

18 podem-se contar todos os meus ossos.

Eles observam e olham para mim.

19 Repartem entre si as minhas roupas

e tiram à sorte a minha túnica.


20 Mas Tu, Senhor, não fiques longe!

És a minha força. Vem depressa em meu socorro.

21 Livra a minha alma da espada

e das garras dos cães, a minha única vida[6].

22 Salva-me da boca do leão

e dos chifres do búfalo. Responde-me[7]!

23 Quero anunciar o teu nome aos meus irmãos;

no meio da assembleia te louvarei.

24 Vós que temeis o Senhor, louvai-o!

Glorificai-o, vós todos, descendentes de Jacob.
Reverenciai-o, vós todos, descendentes de Israel.

25 Pois não mostrou desprezo nem repugnância

para com o pobre desgraçado.

Não desviou dele a sua face,

mas ouviu-o, quando este lhe pediu socorro.


26 Por ti multiplicarei o meu louvor[8] na grande assembleia;

cumprirei os meus votos na presença dos que o temem.

27 Os pobres comerão e ficarão saciados;

e louvarão o Senhor os que o procuram.
«Viva para sempre o vosso coração!».


28 Hão de lembrar-se e voltarão para o Senhor

todos os confins da terra.

E hão de prostrar-se diante dele[9]

todas as famílias de povos.

29 Pois ao Senhor pertence a realeza;

é Ele quem governa as nações.

30 E perante Ele se prostrarão[10] todos os grandes da terra;

diante dele se inclinarão todos os que descem ao pó.

E se estes já não vivem[11],

31 :</nowiki>os descendentes hão de servi-lo.

E assim se falará do Senhor à geração que há de vir.

32 E anunciarão a sua justiça

a um povo que há de nascer,
dizendo: «Foi Ele quem o fez».



  1. Temos aqui um bom exemplo de um salmo individual de súplica. Os pormenores com que se descreve a experiência de sofrimento e o sentido que lhe é atribuído fazem dele a expressão acabada de uma profunda vivência religiosa do sofrimento. As primeiras palavras são colocadas na boca de Jesus no relato evangélico da paixão (Mt 27,46; Mc 15,34). Outras passagens do mesmo aparecem noutros passos da narração da paixão de Jesus (Mt 27,35.43.46). Isto mostra que os autores do NT se serviram deste salmo para definir a cristologia, i.e., a função messiânica de Cristo. Por estas razões, o cristianismo fez deste salmo um texto de ressonâncias intensamente messiânicas, valorizando a ideia do sofrimento de uma forma que não transparecia tão claramente nas conceções tradicionais.
  2. Ou: Mas Tu moras no santuário; / és a glória de Israel.
  3. Basan é uma região situada a oriente do Jordão, conhecida na época bíblica pela sua grande fertilidade. Os ataques dos seus touros fortes tornavam-se particularmente perigosos e como tal eram reconhecidos.
  4. Pelo texto hebraico atual deveria traduzir-se a minha força, opção seguida em várias traduções. O contexto, no entanto, sugere como muito provável que duas letras hebraicas da mesma palavra, o kaf e o het, se encontrem em posições trocadas, obtendo-se assim a tradução referida acima, a qual é assumida em muitas traduções.
  5. Traduções antigas sugerem para o texto hebraico consonântico a leitura reduziram-me, e outras traduções mais atuais sugerem Tu me reduzes. A tradução proposta acima baseia-se no entendimento da morte personificada como sujeito da frase.
  6. Lit.: A minha única.
  7. A última palavra do v. levanta problemas de interpretação desde as traduções antigas até às atuais. A tradução responde-me corresponde a um perfeito precativo do verbo ‘anah. A tradução alternativa tu respondeste-me considera o perfeito hebraico como narrativo.
  8. Ou: De ti vem o meu louvor.
  9. Segundo as versões antigas. Lit.: diante de ti.
  10. Lit.: Comerão e se prostrarão.
  11. Ou: Mas a minha alma por Ele viverá.



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150