Difference between revisions of "Sl 129"

From Biblia: Os Quatro Evangelhos e os Salmos
Jump to: navigation, search
(Created page with " ---- <references/> == Salmos == 1   2   3   4   5   6   7   [...")
 
 
Line 1: Line 1:
 +
=== <span style="color:red">129(128)&nbsp;'''O libertador de Israel'''</span>===
 +
&nbsp;
  
 +
<span style="color:red"><sup>1</sup></span>&nbsp;''Cântico das peregrinações.''
  
  
 +
Muito me atacaram desde a minha juventude<ref name="ftn762">Este cântico de confiança e de esperança descreve em primeira pessoa uma experiência que acaba por se alargar a todo o povo de Israel. Esta meditação de estilo sapiencial procura extrair as lições que decorrem da experiência vivida e exprime as aventuras sofridas, servindo-se de uma série de metáforas integradas num sistema de referências que nos remete para as experiências duras do trabalho agrícola. </ref>.
  
 +
:Que o diga Israel agora<ref name="ftn763">O convite para que Israel repita a declaração (cf. Sl 118,2) é cumprido logo no v. 2.</ref>.
  
 +
<span style="color:red"><sup>2</sup></span>&nbsp;Muito me atacaram desde a minha juventude<ref name="ftn764">As referências à juventude, nos vv. 1 e 2 referem-se aos problemas dos primeiros tempos, no Egito (Ex 1ss), e primeiros tempos na terra prometida (Jz 3; 4; etc.)</ref>,
  
 +
:mas não conseguiram vencer-me.:
  
 +
<span style="color:red"><sup>3</sup></span>&nbsp;Sobre as minhas costas lavraram os lavradores
 +
 +
:e prolongaram os seus sulcos<ref name="ftn765">Esta imagem, que exprime tradicionalmente o tratamento de escravatura aplicado a alguém, aplica-se bem ao facto de o dorso sobre o qual lavram os lavradores ser o de Israel, cujo solo humilhado por poderes estrangeiros é o motivo que parece ter suscitado este salmo. Cf. Is 50,6; Am 1,3; Hab 3,12.</ref>.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>4</sup></span>&nbsp;Mas o Senhor, que é justo, libertou-me
 +
 +
:das cadeias dos malfeitores.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>5</sup></span>&nbsp;Sejam humilhados e obrigados a retroceder
 +
 +
:todos os que odeiam Sião.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>6</sup></span>&nbsp;Sejam como a erva dos telhados,
 +
 +
:que, antes de ser arrancada, já está seca<ref name="ftn766">Ou: ''que o vento leste faz murchar.''</ref>,
 +
 +
<span style="color:red"><sup>7</sup></span>&nbsp;de modo que não dá uma mão cheia para o ceifeiro,
 +
 +
:nem um braçado para quem ata os feixes.
 +
 +
<span style="color:red"><sup>8</sup></span>&nbsp;Nem poderão dizer os que passam pelo caminho<ref name="ftn767">Na ocasião das colheitas, parecia ser costume que os que passavam perto saudavam os ceifeiros, celebrando a boa colheita (cf. Rt 2,4).</ref>:
 +
 +
:«Que a bênção do Senhor desça sobre vós;
 +
 +
:nós vos abençoamos em nome do Senhor».
  
  

Latest revision as of 10:39, 18 December 2019

129(128) O libertador de Israel

 

1 Cântico das peregrinações.


Muito me atacaram desde a minha juventude[1].

Que o diga Israel agora[2].

2 Muito me atacaram desde a minha juventude[3],

mas não conseguiram vencer-me.:

3 Sobre as minhas costas lavraram os lavradores

e prolongaram os seus sulcos[4].

4 Mas o Senhor, que é justo, libertou-me

das cadeias dos malfeitores.

5 Sejam humilhados e obrigados a retroceder

todos os que odeiam Sião.

6 Sejam como a erva dos telhados,

que, antes de ser arrancada, já está seca[5],

7 de modo que não dá uma mão cheia para o ceifeiro,

nem um braçado para quem ata os feixes.

8 Nem poderão dizer os que passam pelo caminho[6]:

«Que a bênção do Senhor desça sobre vós;
nós vos abençoamos em nome do Senhor».



  1. Este cântico de confiança e de esperança descreve em primeira pessoa uma experiência que acaba por se alargar a todo o povo de Israel. Esta meditação de estilo sapiencial procura extrair as lições que decorrem da experiência vivida e exprime as aventuras sofridas, servindo-se de uma série de metáforas integradas num sistema de referências que nos remete para as experiências duras do trabalho agrícola.
  2. O convite para que Israel repita a declaração (cf. Sl 118,2) é cumprido logo no v. 2.
  3. As referências à juventude, nos vv. 1 e 2 referem-se aos problemas dos primeiros tempos, no Egito (Ex 1ss), e primeiros tempos na terra prometida (Jz 3; 4; etc.)
  4. Esta imagem, que exprime tradicionalmente o tratamento de escravatura aplicado a alguém, aplica-se bem ao facto de o dorso sobre o qual lavram os lavradores ser o de Israel, cujo solo humilhado por poderes estrangeiros é o motivo que parece ter suscitado este salmo. Cf. Is 50,6; Am 1,3; Hab 3,12.
  5. Ou: que o vento leste faz murchar.
  6. Na ocasião das colheitas, parecia ser costume que os que passavam perto saudavam os ceifeiros, celebrando a boa colheita (cf. Rt 2,4).



Salmos

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14   15   16   17   18   19   20   21   22   23   24   25   26   27   28   29   30   31   32   33   34   35   36   37   38   39   40   41   42   43   44   45   46   47   48   49   50   51   52   53   54   55   56   57   58   59   60   61   62   63   64   65   66   67   68   69   70   71   72   73   74   75   76   77   78   79   80   81   82   83   84   85   86   87   88   89   90   91   92   93   94   95   96   97   98   99   100   101   102   103   104   105   106   107   108   109   110   111   112   113   114   115   116   117   118   119   120   121   122   123   124   125   126   127   128   129   130   131   132   133   134   135   136   137   138   139   140   141   142   143   144   145   146   147   148   149   150